sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Três queixas apenas...


Un joven monje se unió a una orden que requería silencio total. El abad, a voluntad podía permitir a cualquier monje que hablara. Pasaron casi cinco años antes de que el abad se acercara al monje principiante y le dijera:

-Puedes decir dos palabras.

Tras escoger sus palabras cuidadosamente, el moje dijo:

-Cama dura.

Con verdadera preocupación, el abad dijo:

-Lamento que tu cama sea incómoda. Veremos si podemos conseguirte otra.

Por su décimo año en el monasterio, el abad se acercó al joven monje y le dijo:

-Puedes decir dos palabras más:

-Comida fría-dijo el monje.

-Veremos que podemos hacer-contestó el abad.

En el decimoquinto aniversario del monje, el abad volvió a decirle:

-Ahora puedes decir dos palabras.

-Yo renuncio-dijo el monje.

-Probablemente sea lo mejor-respondió el abad-.No has hecho más que quejarte desde que llegaste aquí.

Equivocadamente se prefiere a veces “lo malo conocido a lo bueno por conocer”, pero uno no deja de quejarse de lo mal que vive, del daño que le hacen, de la mala suerte… Detrás de cada queja se esconde un miedo a lo nuevo, un miedo a fracasar. El antídoto para las quejas es el cambio, la transformación… y siempre de dentro a fuera...

Excelente 2010 a todos!!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pessoas são um presente


"Vamos falar de gente, de pessoas. Existe, acaso, algo mais espetacular do que gente?
Pessoas são um presente. Algumas vêm em embrulho bonito, como os presentes de Natal, Páscoa ou festa de aniversário. Outras vêm em embalagem comum. E há as que ficaram machucadas no correio.
De vez em quando chega uma registrada. São os presentes valiosos.
Algumas pessoas trazem invólucros fáceis. De outras, é dificílimo, quase impossível tirar a embalagem. É fita 'durex' que não acaba mais...
Mas... a embalagem não é o presente. E tantas pessoas se enganam, confundindo a embalagem com o presente!!!
Por que será que alguns presentes são tão complicados para a gente abrir? Talvez porque dentro da bonita embalagem haja muito pouco valor. E bastante vazio, bastante solidão. A decepção seria grande.
Também você, amigo. Também eu, somos presentes um para o outro. Você para mim. Eu para você.
Triste, se formos apenas um presente-embalagem: muito bem empacotado e quase nada lá dentro!
Quando existe verdadeiro encontro com alguém, no diálogo, na abertura, na fraternidade, deixamos de ser embalagem e passamos à categoria de reais presentes.
Nos verdadeiros encontros de fraternidade, acontece alguma coisa muito comovente e essencial: mutuamente nós vamos desembrulhando, desempacotando, revelando.
Você já experimentou essa imensa alegria na vida? A alegria profunda que nasce do recôndito de uma alma, quando duas pessoas se encontram, se comunicam, virando PRESENTE uma para a outra?..."(desconheço o autor)

domingo, 13 de dezembro de 2009

Scrap para você!!!

"Se eu pudesse, eu te daria um novo Sol, para teu amanhã ser diferente"...

Porém, através desse scrap, minha singela 'arte de obra' (rs) desejo a vocês um Natal renovador e transformador, pois foi justamente isso mesmo que cada um de vocês deixou registrado na minha vida, durante esse curto mas intenso período de convivência virtual...

A todos aqueles que por aqui passaram e... passaram!
A todos aqueles que igualmente passaram e... permaneceram!
A todos vocês, sem exceção, o meu mais profundo respeito e carinho... o meu mais nobre desejo de dias muito alegres e plenos, e tudo de melhor lhes aconteça!!!

Que este Natal seja realmente um DIVISOR DE ÁGUAS EM SUAS VIDAS...

(Esse cartão é seu, presente do 'Anjo': se lhe agrada, pode levar...)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Um Presépio Vivo em sua casa


Um Feliz e Santo Natal
Com o menino Jesus!


Certamente você sabe que o primeiro presépio foi realizado por São Francisco de Assis e que ele não foi feito com estatuetas de barro. Ele foi um presépio vivo, com pessoas vivas, com animais, com palha, com manjedoura... tudo vivo.
O costume continuou e resultou nos nossos presépios de hoje. E hoje quero lhe dizer:
"Neste Natal, Deus quer um presépio vivo na sua casa, com as pessoas vivas que são a sua família, com as coisas todas que compõem a sua casa, com os problemas vivos e com todas as situações.
Sim! Também com os problemas! Também com as situações!
Porque não se trata de uma encenação, mas de uma realidade. Você pode imaginar a situação constrangedora que José e Maria enfrentaram?
Os problemas que eles tiveram. As situações terríveis em que se viram envolvidos? E eles eram a "Sagrada Família".
Não estranhe: se a "Sagrada Família" enfrentou tantos problemas, é natural que sua família os enfrente da mesma maneira.
O seu presépio se compõe disso também: lágrimas, sofrimentos, preocupações, saudades....
Mas Deus quer que seu filho Jesus nasça no presépio vivo do seu lar, como Ele nasceu no presépio de Maria e de José.
Deus está com você. Não duvide. Ele escolheu sua família para nela fazer nascer Jesus, o Salvador. Acolha-o com amor e carinho.
Que a paz reine em seu lar durante todos os dias do ano."
Amém!!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Feliz Ano Todo!


Meu querido amigo e poeta Mário Neves me desejou um Feliz Natal de um modo generoso, e o repasso a vocês, meus queridos!

Que esse Nascimento de Jesus venha a ser um 'divisor de águas ' em nossas vidas...
Aleluia!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Presente da Evanir...



Meus queridos amigos e irmãos em Cristo agraciaram-me com esses mimosíssimos cartões... e os ofereço a vocês, que me visitam!!!


♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥


Meus queridos amigos:
cliquem aqui para saber um pouco mais sobre a magia do Natal:

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009




O Aniversariante ilumina mais que todas as luzes do mundo juntas, acesas, brilhantes...

É Natal!!!


domingo, 29 de novembro de 2009

Versículo Bíblico - Mt 1:23






"Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de EMANUEL".(Emanuel significa Deus conosco)

sábado, 28 de novembro de 2009


Yo soy flor que se marchita
al sol de la adversidad,
el arbolito en mitad
de la llanura infinita.

La paloma, pobrecita
que arrastran los aquilones,
entre oscuros nubarrones
de tempestades airadas,
soy la barca abandonada
en el mar de las pasiones.

Soy el ave que al bajar
de los aires fatigada,
no tiene ni una enramada
ni un árbol en que anidar;

y si vuelve a levantar
las tristes alas del suelo,
encuentra nublado el cielo
y desecha la tormenta,
y el pájaro se lamenta
y vuelve a tender su vuelo.

Yo no canto por llamar
la atención que no merezco,
yo canto porque padezco
penas que quiero olvidar;

que tan solo con cantar
se va al viento nuestra pena,
y yo tengo el alma llena
de pesares y amarguras,
¡Más que en La Pampa hay anchura
más que en la mar hay arena!

¡Adiós primorosa flor!
Adiós lucero invariable,
solamente comparable
a la estrella de mi amor;

cuando sientas un dolor
parecido al que yo siento,
Dios quiera que tu lamento
no sucumba en la ignorancia,
y atraviese la distancia
sobre las olas del viento.

(Poemas de Almafuerte Décimas)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Versículo Bíblico





"...porque melhor é o seu amor do que o vinho..." (Ct 1,2)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Versículo Bíblico - Js 15:19

"...dá-me também fontes de águas..."

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Caso 'Mariposas'


Conheça um pouco da incrível história das ativistas políticas - as irmãs Mirabal - e a proposta reconhecida oficialmente em 1999 pela ONU como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.
Três das 'Mariposas', como ficaram conhecidas, foram assassinadas em 25 de Novembro de 1960.

Mais sobre o caso:

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Com essa magistral vinheta, ADOLFO PAYÉS inicia uma campanha, na luta : violência contra a mulher!!!
Participe também.

domingo, 22 de novembro de 2009

Convite...


...
Verdadeiros amigos são ANJOS...
Descobri essa irrefutável verdade ao perceber o quanto são raras essas preciosidades que chegam de repente na vida da gente e se alojam devagarinho em local especial e essencial da nossa existência.
No decorrer dos anos, encontramos vários tipos de anjos: alguns são sonsos, vão se apoderando do nosso carinho como quem não quer nada, até que, quando percebemos, já lhes dedicamos nosso afeto integral...
Outros são mais atirados, já chegam mostrando claramente com seus olhos sinceros o quanto nossa amizade é importante para eles...
Alguns chegam necessitando de curativos nos ferimentos causados por amigos que não eram anjos...
Outros chegam para sarar nossos próprios ferimentos...
Alguns são leves e divertidos, nos mostram as alegrias da vida...
Outros, não menos honestos, nos mostram a seriedade com que a vida deve ser enfrentada...
Alguns têm suas qualidades tão à mostra, que a um primeiro olhar, já sabemos a que vieram...
Outros têm as mesmas qualidades, muito bem guardadas, e precisamos ir desvendando-as aos poucos...
Alguns esbarram na gente numa esquina qualquer, sem avisar e nos dão carinhos reais, sorrisos reais, proteção real...
Outros chegam através da telinha de um computador, nos sorrindo de longe, sem rosto, sem forma, sem voz, mas são igualmente anjos... seus carinhos são telepáticos mas conseguem nos perceber tristes ou alegres através da fria máquina e nos faz sentir abraçados, acarinhados, queridos...
Uns não são melhores nem piores que os outros, são apenas diferentes, com suas qualidades que devemos salientar, com seus defeitos que devemos enfrentar, pois quando gostamos temos compromisso de ser fiéis até aos defeitos do nosso anjo.
Devemos sempre, ao longo de nossas vidas, ter sempre um anjo com o qual possamos contar para nos dar alento nas horas difíceis, e nas horas alegres para rir com a gente...
Mais importante que termos anjos é sermos ANJOS!
(desconheço o autor)

♥ Amados!
Fiz esta longa chamada para convidá-los a conhecer o Alameda dos Anjos, de minha querida amiga LU CAVICHIOLI - um blog lindíssimo que está ainda nascente, mas que já está pleno de conteúdos bons, e vem emocionando a todos os que por lá chegam para uma visitinha...
Confiram e vejam essa lindeza que eu chamo de colírio para os nossos olhos e delícia para nossa alma. Uma graça.

Amigo:


Deus deixou o mundo mais bonito quando criou você!!!

Volte sempre...

Aqui terá sempre um carinho, um aconchego, um colo...

sábado, 21 de novembro de 2009

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

20 de novembro...??



... a questão da negritude não se esgota no calendário...

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Para você...

(...)
un hombre viejo que al enfrentar su vejez
decidió arrancar de la muerte
un argumento: la revelación de un misterio:
ver
lo que no existe.
(La destrucción de la realidad -Víctor Redondo)


Image and video hosting by TinyPic

Meu blog Os Botões de Madrepérola já conta com 5000 visitas...
Grata, Gracinha Trstão, pelo lindo selinho...

quarta-feira, 18 de novembro de 2009




Somos todos viajantes do tempo...

'O importante é a viagem na companhia de um coração idêntico ao nosso'...

terça-feira, 17 de novembro de 2009



Sinto o desejo forte de acariciar tua alma

e um poder sobre-humano
me invade..

(para uma pessoa e ela sabe quem é)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009




"Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser pôr à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder" (Abraham Lincoln)

domingo, 15 de novembro de 2009

Convocação

(frasesilustradas.wordpress.com)
Meus amores,

convoco-os a darem uma 'espiadinha' em meu outro blog

e

apreciarem meu Projeto Literário.
Está imenso! O cursor vai até o meio do PC ...rsrs !, por isso adianto-lhes que podem somente 'passear' pelos títulos... e leiam se assim o desejarem, ficando totalmente à vontade, combinado???

Um beijão.
Estejam na paz de Deus!

sábado, 14 de novembro de 2009



Paixão Ardente...

Esta chama voraz que arde em meu peito
Me atordoa, me embala, me agita no leito,
Em pseudos e doces espasmos de dor...
É dor saborosa, que leva à loucura,
Que acalma, aquece, entorpece, tortura,
Insolentes e castos eflúvios de amor...

Que são estas ondas tão incoerentes,
De sons e de cores, fortes, envolventes,
De tantos sabores paradoxais?
Serão os sentidos que estão me enganando,
Ou apenas os sonhos que vão me embalando,
Em meus dias maduros... tristes... outonais?

Confesso...
... é o grito, o brado, o clamor, a explosão,
Louco sentimento mesclado em paixão,
Que sinto por ti e é tão delirante...
Que só se acalma quando adormeço
E do mundo, da vida, das dores esqueço,
No pouso encantado de teu peito amante...
(Oriza Martins)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009


Angústia

Há uma estranha beleza na noite ! Há uma estranha beleza !
Oh, a transcendente poesia
que verso algum traduz...

A via-láctea, inteiramente acesa
parece a fotografia
de um tufão de luz !

- Quem seria,
quem seria
que pregou lá no céu aquela imensa cruz?

Que infinita serenidade...
Que infinita serenidade misteriosa
nesse infinito azul dos céus e em tudo mais:
nos telhados, nas ruas, na cidade...

( Só os gatos gritam na noite silenciosa
sensualíssimos ais !)

Meu Deus, que noite calma... E aquela trepadeira
feminina e ligeira
veio abrir bem na minha janela
uma flor - como uma boca rubra e bela
que não terei...

- E ainda sinto nos lábios um travo nauseante
do amor que faz bem pouco, há apenas um instante,
paguei...

E o céu azul assim... E essa serenidade!
Silêncio- A noite, o luar ... Tão claro o luar lá fora...
Juraria que há alguém, não sei onde que chora...

Oh, a angústia invencível que me prostra
invade
e me devora ...

(J G de Araújo Jorge)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009


Mais um passo...
um passo apenas...
e eis o futuro,
que já se torna presente,
e dentro de instantes,
já é passado
novamente!

(graçalacerda-poetando
11/11/09)

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Autobiografia de Bertrand Russell - Prólogo


Três paixões, simples mas irresistivelmente fortes, governaram minha vida: o desejo imenso de amar, a procura do conhecimento e a insuportável compaixão pelo sofrimento da humanidade. Essas paixões, como os fortes ventos, levaram-me de um lado para outro, em caminho caprichoso, para além de um profundo oceano de angústias, chegando à beira do verdadeiro desespero.

Primeiro busquei o amor, que traz o êxtase – êxtase tão grande que sacrificaria o resto de minha vida por umas poucas horas dessa alegria. Procurei-o, também, porque abranda a solidão – aquela terrível solidão em que uma consciência horrorizada observa, da margem do mundo, o insondável e frio abismo sem vida. Procurei-o, finalmente, porque na união do amor vi, em mística miniatura, a visão prefigurada do paraíso que santos e poetas imaginaram. Isso foi o que procurei e, embora pudesse parecer bom demais para a vida humana, foi o que afinal encontrei.

Com igual paixão, busquei o conhecimento. Desejei compreender os corações dos homens. Desejei saber por que as estrelas brilham. E tentei apreender a força pitagórica pela qual o número se mantém acima do fluxo. Um pouco disso, não muito, conquistei. Amor e conhecimento, até onde foram possíveis, conduziram-me aos caminhos do paraíso. Mas a compaixão sempre me trouxe de volta à terra. Ecos de gritos de dor reverberam em meu coração. Crianças famintas, vítimas torturadas por opressores, velhos desprotegidos – odiosa carga para seus filhos – e o mundo inteiro de solidão, pobreza e dor transformam em arremedo o que a vida humana poderia ser. Anseio ardentemente aliviar o mal, mas não posso, e também sofro. Isso foi minha vida. Achei-a digna de ser vivida, e vivê-la-ia de novo com a maior alegria se a oportunidade me fosse oferecida.

Para refletir...

A blogagem vem aí... participe!




Para os interessados e melhores informações, acessar:

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Buscando inspirar-me...


PARA PODER MORRER

"Para poder morrer
Guardo insultos e agulhas
Entre as sedas do luto.
Para poder morrer
Desarmo as armadilhas
Me estendo entre as paredes
Derruídas
Para poder morrer
Visto as cambraias
E apascento os olhos
Para novas vidas
Para poder morrer apetecida
Me cubro de promessas
Da memória.
Porque assim é preciso
Para que tu vivas."
(Hilda Hilst)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Buscando inspiração para a blogagem...


Pedi ao Senhor a graça
de ter para sempre a graça
presente nos sonhos meus.
E Deus como é cheio de graça
me deu o encanto e a graça
dos lindos olhinhos seus.

Presente de Deus é graça
bondade divina é graça
Graça é o meu amor..
Graça é o meu sonho lindo
que espero não seja findo
Graça, menina- flor!

(música feita especialmente para mim...
não é cute cute??
segredo...)

Convite...





Meus queridos!!!

A blogagem é para quem quiser participar.

Vamos também escrever um conto sobre o Amor???

domingo, 8 de novembro de 2009

Adormecida



Ses longs cheveux épars la couvrent tout entière
La croix de son collier repose dans sa main,-
Comme pour témoigner qu'elle a fait sa prière.
Et qu'elle va la faire en s'éveillant demain.

A. DE MUSSET

Uma noite, eu me lembro... Ela dormia
Numa rede encostada molemente...
Quase aberto o roupão... solto o cabelo
E o pé descalço do tapete rente.

'Stava aberta a janela. Um cheiro agreste
Exalavam as silvas da campina...
E ao longe, num pedaço do horizonte,
Via-se a noite plácida e divina.

De um jasmineiro os galhos encurvados,
Indiscretos entravam pela sala,
E de leve oscilando ao tom das auras,
Iam na face trêmulos - beijá-la.

Era um quadro celeste!...A cada afago
Mesmo em sonhos a moça estremecia...
Quando ela serenava... a flor beijava-a...
Quando ela ia beijar-lhe... a flor fugia...

Dir-se-ia que naquele doce instante
Brincavam duas cândidas crianças...
A brisa, que agitava as folhas verdes,
Fazia-lhe ondear as negras tranças!

E o ramo ora chegava ora afastava-se...
Mas quando a via despeitada a meio,
P'ra não zangá-la... sacudia alegre
Uma chuva de pétalas no seio...

Eu, fitando esta cena, repetia
Naquela noite lânguida e sentida:
'Ó flor! - tu és a virgem das campinas!
'Virgem! - tu és a flor da minha vida!...'

(castroalves)

sábado, 7 de novembro de 2009

Espelho teu





Não me olhes tão de frente
não sou diferente.
Tentei, em vão, por vezes
fugir de tal verdade
angustiante e convinhável
a um só tempo.
É nesta face que se esconde a minha alma.
E, ainda que a todos
bela se revele a face,
reluzente e cheia de encanto,
mesmo que triste, a voz cantasse
sempre um novo e lindo canto...
Não me olhes tão de frente,
sou o espelho teu,
pois a mais brilhante das máscaras
não é capaz de ocultar
todo brilho e pureza
que meu olhar já perdeu.
(Ilanavaulawerneck)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Salmo 19:1-10


Para o mestre de música. Salmo davídico.

Os céus declaram a glória de Deus;
o firmamento proclama a obra das suas mãos.
Um dia fala disso a outro dia;
uma noite o revela a outra noite.
Sem discurso nem palavras,
não se ouve a sua voz.
Mas a sua voz ressoa por toda a terra,
e as suas palavras até os confins
do mundo.
Nos céus ele armou uma tenda para o sol,
que é como um noivo que sai de seu
aposento
e se lança em sua carreira
com a alegria de um herói.
Sai de uma extremidade dos céus
e faz o seu trajeto até a outra;
nada escapa ao seu calor.

A lei do Senhor é perfeita, e revigora
a alma.
..............................................................
Os preceitos do Senhor são justos,
e dão alegria ao coração.
Os mandamentos do Senhor são límpidos,
e trazem luz aos olhos.
O temor do Senhor é puro
e dura para sempre.
As ordenanças do Senhor são verdadeiras,
são todas ela justas.
São mais desejáveis do que o ouro,
do que muito ouro puro;
são mais doces do que o mel,
do que as gotas do favo.
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Tenham todos um lindo final de semana!!!!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009


"- Hay que endurecer, pero perder la ternura jamás." (cheguevara)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Nos palcos da vida



No momento de muita paz e reflexão,

Ouço o tom sublime de um canto,

Como um sopro de vida,

Mãe da emoção, uma obra-prima,

Que no meu coração toca tanto....

Neste caminho da minha existência,

Tem uma música de verdade,

Nestes muitos passos dados,

Entre riso e a dor,

Tantas mágoas e derrotas,

Quantas brigas, tantas histórias,

Na valsa sublime do querer,

Na essência bendita do amor.....

E toca, toca ainda mais uma vez,

Fazendo-me ouvir seu eco divinal,

Quando lembro do passado,

Porque penso na alegria que senti,

Quando o sonho um dia descobri,

E das muitas emoções que vivi....

E fico pasma, meio boba,

Por pensar que ainda me resta,

Tanta alegria, fantasia e festa,

Muitos abraços e beijos na boca,

Carinho receber, ser amada e amar,

Lembranças queridas, amizades coloridas,

Dias, noites, sereno e madrugadas,

Ser chuva, vento e de tudo um pouco,

Sol, primavera, poesia, médica e louca....

Sei que tem alguém com as mãos no piano,

Que toca e aumenta minha chama,

Com bela sonoridade e esplendor,

E assim vou bailando,

Nos palcos da vida me apresentando,

Com esta música sagrada,

Que vem na voz que sai da garganta,

Que canta minha vida e me encanta,

Que se chama DEUS meu criador.


(DOCE VAL)

http://recantodasletras.uol.com.br/poesiasrecordativas/1851807

Quero agradecer à gentil e nobre amiga Chica, pela delicadeza de me 'ceder' este lindíssimo poema da Val, cuja publicação também se encontra em seu blog
Beijos ternos, mi amiga... Deus te proteja, sempre!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Um novo credo

(angelinesmartinvega)


Creio no Deus desaprisionado do Vaticano e de todas as religiões existentes e por existir. Deus que procede todos os batismos, preexiste aos sacramentos e desborda de todas as doutrinas religiosas. Livre dos teólogos, derrama-se graciosamente no coração de todos, crentes e ateus, bons e maus, dos que se julgam salvos e dos que se crêem filhos da perdição, e dos que são indiferentes aos abismos misteriosos do pós-morte.

Creio no Deus que não tem religião, criador do universo, doador da vida e da fé, presente em plenitude na natureza e nos seres humanos. Deus ourives em cada ínfimo elo das partículas elementares, da requintada arquitetura do cérebro humano ao sofisticado entrelaçamento do trio de quarks.

Creio no Deus que se faz sacramento em tudo que aproxima, atrai, enlaça, abraça e une – o amor. Todo amor é Deus e Deus é o real. Em se tratando de Deus, bem diz o pensador islâmico Rumî, não é o sedento que busca a água, é a água que busca o sedento. Basta manifestar sede e a água jorra.

Creio no Deus que se faz refração na história humana e resgata todas as vítimas de todo poder capaz de fazer o outro sofrer. Creio em teofanias permanentes e no espelho da alma que me faz ver um Outro que não sou eu. Creio no Deus que, como o calor do sol, sinto na pele, sem no entanto conseguir fitar ou agarrar o astro que me aquece.

Creio no Deus da fé de Jesus. Deus que se aninha no ventre vazio da mendiga e se deita na rede para descansar dos desmandos do mundo. Deus da Arca de Noé, dos cavalos de fogo de Elias, da baleia de Jonas. Deus que extrapola a nossa fé, discorda de nossos juízos e ri de nossas pretensões; enfada-se com nossos sermões moralistas e diverte-se quando o nosso destempero profere blasfêmias.

Creio no Deus que, na minha infância, plantou uma jabuticabeira em cada estrela e, na juventude, enciumou-se quando me viu beijar a primeira namorada. Deus festeiro e seresteiro, ele que criou a Lua para enfeitar as noites de deleite e as auroras para emoldurar a sinfonia passarinha dos amanheceres. Creio no Deus dos maníacos depressivos, das obsessões pssicóticas, da esquizofrenia alucinada. Deus da arte que desnuda o real e faz a beleza resplandecer prenhe de densidade espiritual. Deus bailarino que, na ponta dos pés, entra em silêncio no palco do coração e, soada a música, arrebata-nos à saciedade.

Creio no Deus do estupor de Maria, da trilha laboral das formigas e do bocejo sideral dos buracos negros. Deus despojado, montado num jumento, sem pedra onde recostar a cabeça, aterrorizado pela própria fraqueza.

Creio no Deus que se esconde no avesso da razão ateia, observa o empenho dos cientistas em decifrar-lhe os jogos, encanta-se com a liturgia amorosa dos corpos excretando sumos a embriagar espíritos.

Creio no Deus intangível ao ódio mais cruel, às diatribes explosivas, ao hediondo coração daqueles que se nutrem com a morte alheia. Misericordioso, Deus se agacha à nossa pequenez, suplica por um cafuné e pede colo, exausto frente à profusão de estultices humanas.

Creio sobretudo que Deus crê em mim, em cada um de nós, em todos os seres gerados pelo mistério abissal de três pessoas enlaçadas pelo amor e cuja suficiência desbordou nessa Criação sustentada, em todo o seu esplendor, pelo frágil fio de nosso ato de fé. (freibetto).


domingo, 1 de novembro de 2009

Num momento de profunda solidariedade...


Eu quero a poesia por vestido

Quando minha alma esteve presa
e quando os grilhões me atormentavam
quando fui ultrajada
torturada
vilipendiada
calada
Quando minha alma esteve aprisionada
e tudo era mágoa
revolta
tristeza
e sofrimento
e dor
Quando sentia o peso da angústia
e me pesava o frio da prisão
me vi numa trincheira
fizeram-me sentir um lixo, um verme.
Quando minha carne flagelada
e minha alma andava nua
e descoberta
senti medo
e fome.
Quando havia um grito surdo
e abafado
dentro em mim
amordaçado
explodindo na noite do meu peito
a solidão gritava
um urro entranhava
e era maior que eu
uma angústia crescia
fazendo ressoar na escuridão.
Nenhum eco ouvia
era tudo silêncio
e eu vagava como um louco pela rua
- e quis a poesia por vestido -

Ainda tenho o peito rasgado
dilacerado
escuto ainda o grito do silêncio
um clamor
dentro em mim
mas já não há espaços para angústia
medo
dor
nem aflição.
Minha alma novamente libertada
saiu do cárcere
rompeu correntes
as trevas não assediam
não há tormentas
não me torturam
não há lamento
não sou tristeza
Passou o gelo, o frio, a solidão
Já não há cadeias de ferro
nem grilhões
seguiu seu destino a escuridão
Naquele que sofreu mais do que eu existe amor
e há vitória.
Jesus, teu grito de liberdade é meu troféu
já não importa o quanto hei sofrido
rasga meu peito novamente
sou poeta
- e quero a poesia por vestido! -

Graça Lacerda 01/11/09


 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti